Fatores Viabilizadores

Condições que favorecem a implantação e a possibilidade de ganho de escala das soluções de negócio

Algumas soluções de negócios exigem esforços apenas das empresas para sua implementação; outras serão viabilizadas ou potencializadas por fatores como políticas públicas, mudanças regulatórias, parcerias, soluções tecnológicas, dentre outros.

Os fatores viabilizadores são as condições que favorecem a implantação e a possibilidade de ganho de escala das soluções de negócio e o consequente enfrentamento dos desafios impostos pelos Must Haves. Entre os seus elementos estão, entre outros:

Financiamento

Conhecimento e Educação

Elementos para dar escala à implementação das soluções de negócios

Parcerias

Regulamentações

Políticas Públicas

Tecnologia

A identificação dos fatores viabilizadores, a partir do desenvolvimento das soluções de negócio, poderá prover insumos para a estruturação de estratégias de advocacy, que envolvam os tomadores de decisão para facilitar a implementação das soluções.

A partir das discussões realizadas com as empresas ao longo de 2014 por meio dos workshops foram identificados alguns fatores viabilizadores. A lista que se apresenta não é exaustiva e deverá ser complementada na próxima fase do projeto.

Fatores Viabilizadores já identificados

Direitos e Necessidades Básicas
  • Estabelecimento de regulamentações que busquem desburocratizar a doação de alimentos por indivíduos e organizações.
Emprego e Capacitação
  • Estabelecimento de normas, figuras jurídicas e mecanismo de mercado que atendam e estimulem iniciativas com impacto socioambiental mais positivo[i] e incentivem o consumo de produtos e serviços que resultem de tais iniciativas.

[i] Como iniciativas empreendedoras de impacto socioambiental positivo entendem-se atividades econômicas advindos de modelos tais como fair trade, cooperativismo, economia criativa, economia solidária, nova economia, investimento de impacto, negócios de impacto, negócios sociais, empreendimentos sociais, etc.
Produção e Consumo Sustentável
  • Aumento de investimento e garantia de condições estruturais para o surgimento de processos de inovação disruptiva, bem como iniciativas baseadas nos preceitos de economia circular.
  • Utilização de insumos que considerem o comportamento do consumidor, por meio de perspectivas inovadoras advindas de áreas como antropologia, neurociência e economia comportamental, entre outras, além das atuais abordagens.
Água
  • Aumento da representação da sociedade civil e de todos os usuários, inclusive o setor empresarial, nas discussões atreladas ao desenvolvimento e à implementação de políticas públicas relacionadas aos recursos hídricos, sobretudo as voltadas ao saneamento básico, abastecimento de água, coleta e tratamento dos esgotos.
  • Definição de marco regulatório para o reuso da água.
  • Adoção de incentivos fiscais e linhas de financiamento para viabilizar projetos de uso racional e reuso de água.
  • Desenvolvimento e difusão de políticas que garantam o acesso do público à informação, incluindo acesso aos planos nacional e estaduais de recursos hídricos.
Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos
  • Fortalecimento de políticas públicas e marcos legais relacionados ao Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) e ao Acesso ao Patrimônio Genético, instituindo incentivos tributários e financeiros, acesso e repartição de benefícios, e a implementação de arranjos/acordos locais.
Mudança do Clima
  • Estabelecimento de incentivos fiscais e desenvolvimento de mecanismos de mercado e avanços tecnológicos para a elevação da participação de energias renováveis na matriz energética brasileira.
Uso da Terra, Mudança do Uso da Terra e Segurança Alimentar
  • Proposição de ajustes nos planos diretores dos municípios (ou desenvolvimento de novos planos) que considerem a restauração ecológica em larga escala, a conservação de cabeceiras e margens de rios e a recuperação de pastagens.

Publicação Relacionada